ESPETÁCULOS

URBAN FERAL

Foto: Fábio Minagawa

press to zoom

Foto: Fábio Minagawa

press to zoom

Foto: Fábio Minagawa

press to zoom

Foto: Fábio Minagawa

press to zoom
1/7

O espetáculo estreou na Galeria Olido com direção geral de Ricardo Neves e concepção e dramaturgia de Nita Little, uma das principais precursoras do contato improvisação nos EUA na década de 70. O projeto foi aprovado pelo 21º Edital de Fomento à Dança na cidade de São Paulo.

Durante o processo de pesquisa e criação, os intérpretes investigaram a inteligência animal, sua corporeidade, seus estados afetivos e emocionais. A montagem traz um universo de sensações, das mais primárias e adormecidas as mais complexas. A obra provoca as inquietações do ser humano sobre si mesmo. Relações do ‘ser animal’ se cruzam entre os corpos que geram conflitos e paixões.

Ficha Técnica


Direção Geral: Ricardo Neves
Concepção e Direção Dramatúrgica: Nita Little
Núcleo Artístico: Ricardo Neves, Cristiano Karnas, Dresler Aguilera, Felipe Cirilo, Marília Persoli, OTilia
Françoso e Ricardo Silva.
Preparação Corporal: Ricardo Neves e Sensei Igor Koga.
Designer de luz e Cenografia: José Silveira
Paisagem Sonora: Sandra Ximenez
Figurino: David Schumaker.

Fotografia: Fabio Minagawa
Captação de Imagens e Vídeo maker: Silvia Carderelli-Gronau
Registro em vídeo: Daniel Lins de Carvalho
Direção de Produção: Solange Borelli – RADAR CULTURAL Gestão e Projetos

Apoio: Cooperativa Paulista de Dança, Espaço Vajra, CRD – Centro de Referência de Dança de São Paulo, CEU Heliópolis Profª Arlete Persoli.

RELATION X

Foto: Karina Iliescu

press to zoom

Foto: Karina Iliescu

press to zoom

Foto: Karina Iliescu

press to zoom

Foto: Karina Iliescu

press to zoom
1/7

Nesse trabalho, investigamos como o corpo sobrevive criativamente em situações diversas, adversas e de risco. O espetáculo também discute como lidar com as emoções e com o outro, que muda constantemente. A partir dessas questões, o grupo pergunta, por exemplo, se “é possível que o outro desvende quem eu sou”.

Iniciamos a criação no segundo semestre de 2015, decidindo por verticalizar a pesquisa dos temas acima mencionados. Perguntávamo-nos se seria possível falar em uma estética das relações de conflito? Se sim, que estética seria essa? E quais caminhos a dança, o corpo e a investigação física poderiam nos abrir para tratar desta questão? No espetáculo optamos por trazer cenas que sugerem sutilmente a narrativa de casais em conflito. Perpassando um grande espectro das mais variadas dinâmicas as quais todas as relações humanas estão sujeitas – do amor ao ódio, da atração à repulsa, do carinho à violência – atentamos-nos para os desdobramentos físicos que esses jogos e situações produziam.

Direção e concepção: Ricardo Neves
Figurino: Núcleo Improvisação em Contato

EM BUSCA DO PESO PERDIDO

Foto: Jorge Maluf (Hynd)

press to zoom

Foto: Jorge Maluf (Hynd)

press to zoom

Foto: Jorge Maluf (Hynd)

press to zoom
1/2

O processo de pesquisa iniciou durante o Encontro Internacional de Contato Improvisação em São Paulo, com artistas convidados e o Núcleo. Apresentado algumas vezes no ano de 2015 na cidade de São Paulo, tivemos uma influência do cotidiano vivenciado nos Encontros e Imersões que o NIC participa e a investigação foi se estruturando a partir de situações ao longo desses eventos, desde o momento da quietude, o descanso, até as relações que se estabelecem de conexão, rupturas e constantes explorações na convivência entre pessoas através da dança. Foi o interesse em encontrar uma estrutura que se assemelha a um organismo vivo, capaz de crescer e adaptar-se a todas as circunstâncias de mudança.
 

Um dos objetivos e desafios em comum para esta performance era nos unirmos brevemente para encontrar e definir os pontos de interesses e perceber o que é possível e inspirador, entre nós, preservando a essência individual. O trabalho, baseado também no Tunning Scores, proporciona um estado sutil de comunhão, de alerta e disponibilidade para um elevado nível de escuta e abertura da percepção dos sentidos entre os intérpretes-criadores para conseguirem oferecer uma dança vital, única e sagrada, no momento em que for apresentado.
 

Direção e concepção: Ricardo Neves